Notícias

Nasce Mário de Castro, o primeiro grande ídolo atleticano

Por Alexandre Simões, 30/06/2020 às 11:12
atualizado em: 30/06/2020 às 12:10

Texto:

Foto: Reprodução
Reprodução

Em Formiga (MG), em 30 de junho de 1905, nasce Mário de Castro, o primeiro grande ídolo da história atleticana. Terceiro maior artilheiro da história alvinegra, atrás apenas de Reinaldo e Dario, ele brilhou intensamente na segunda metade dos anos 1920.

Formou com Said e Jairo o chamado Trio Maldito, que levou o Atlético ao bicampeonato mineiro em 1926 e 1927, o primeiro do clube. Ele ganhou a competição ainda em 1931. O segundo título foi garantido com os 9 a 2 sobre o Palestra Itália (Cruzeiro), naquela que é a maior goleada da história do clássico em todos os tempos.

Ele brilhou ainda na inauguração do Estádio Antônio Carlos, em 1929, quando o Atlético venceu o Corinthians por 4 a 2, com três gols de Mário de Castro.

Estudante de Medicina, ele deixou o futebol cedo, para se dedicar à sua profissão. Nos tempos de estudante, para sua família não saber que ele estava jogando futebol, usava os apelidos de Orión, principalmente, mas também de Podó.

MAIS HISTÓRIA

JOGO: Pela última rodada do hexagonal final do Campeonato Mineiro de 1996, o Atlético fica muito próximo do título vencendo o Cruzeiro por 1 a 0, gol de Renaldo. Naquele momento, o Galo somava 13 pontos, contra sete da Raposa.
A FICHA DO JOGO
ATLÉTICO
1
Taffarel; Paulo Roberto Costa, Ronaldo, Rogério Pinheiro e Lira; Éder Lopes, Doriva e Toninho Cerezo (Bruno); Euller, Renaldo (Ézio) e Cleiton. Técnico: Procópio Cardoso
CRUZEIRO 0
Dida; Vitor, Célio Lúcio, Gelson e Nonato; Fabinho, Ricardinho, Donizete Oliveira e Aílton; Marcelo Ramos (Edmundo) e Roberto Gaúcho (Luiz Fernando Flores). Técnico: Levir Culpi
DATA: 30 de junho de 1996
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Campeonato Mineiro
GOL: Renaldo, aos 31 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Sidrack Marinho dos Santos (SE), auxiliado por José Eugênio e Marco Antônio Gomes
CARTÃO VERMELHO: Ricardinho (Cruzeiro)
CARTÃO AMARELO: Paulo Roberto Costa (Atlético); Nonato, Gelson, Aílton e Fabinho (Cruzeiro)
PÚBLICO: 37.996
RENDA: R$ 448.977,50

NASCIMENTO: Revelado nas categorias de base do Cruzeiro, foi campeão da Copa do Brasil de 1993 pelo clube, mas em 1994 foi cedido ao Vitória na contratação do goleiro Dida. Fez sucesso no futebol baiano, defendendo também o Bahia, foi vendido ao Bayer Leverkusen, da Alemanha, sendo repatriado pelo Vasco.

Em 2000, quando o Atlético montava um grande time para a disputa da Copa Libertadores depois de 19 anos, uma das contratações foi Ramon Menezes. Neste mesmo ano ele marcou, contra o Cruzeiro, o gol do título mineiro daquela temporada numa final entre os dois rivais.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    As informações sobre a semana e os eventos serão transmitidos nas redes sociais do ministério e da Secretaria Nacional da Juventude.#Itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽️Técnico do América não poupou críticas à atuação do juiz Felipe Fernandes de Lima no clássico contra o Atlético. #itatiaia

    Acessar Link